Saiba como planejar e concluir uma reforma em 10 dicas

reforma

1 – Planeje sua reforma e gastos – Contratar um projeto pode salvar sua obra e seu bolso! No papel, todos os itens devem estar especificados, desde o modelo das luminárias até a quantidade, tipo e paginação dos pisos. Com isso definido em papel, você poderá ter uma tomada de preços mais eficiente e economizar na hora de contratar, pois terá garantido que o orçamento está sendo feito a partir de uma ideia definida.

2 – Procure um profissional com antecedência – O planejamento e o projeto exigem um tempo de desenvolvimento e devem entrar no planejamento do prazo da obra.

3 – Pesquise preços de materiais antes do início da obra – Faça isso especialmente com os materiais de acabamento e leve em consideração que vai gastar, em média, a mesma quantia com mão de obra.

4 – Monte um cronograma – O serviço de administrar uma obra vai muito além de comprar os materiais que os prestadores solicitam. Antes do início, vale reunir todos os envolvidos e questionar prazos e o que poderá ocorrer em caso de eventuais intempéries. A compatibilização dos serviços também é essencial para a realização deste cronograma.

5 – Esteja por dentro de todos os prazos – Se você pretende montar a marcenaria é necessário contar com o fechamento do pedido e conferência das medidas ao menos 60 dias antes da data prevista de montagem. Assim como a marcenaria, cada serviço tem um prazo para o fornecimento dos produtos e todos os fechamentos devem ser compatibilizados com a planilha de execução. Assim você poderá cobrar a entrega a partir do prazo do fornecedor. Nem tudo é fornecido no mercado a pronta entrega e planejar as janelas de fechamento e instalação é essencial para que a obra não fique parada.

6 – Fique atento às adversidades – Mesmo montando o cronograma, é muito difícil estabelecer prazos para o término da obra quando falamos em reforma, porque situações inesperadas podem acontecer. Por exemplo, pode haver a indisponibilidade de algum produto, falta de mão de obra, atrasos nos prazos de entrega de fornecedores ou mesmo algum imprevisto no imóvel, como um problema não aparente.

7 – Transtornos fazem parte da reforma – Se você pretende reformar sem desocupar o imóvel é bom ter plena ciência de que morar numa obra tem muitos inconvenientes, como pessoas o tempo todo circulando pelo imóvel, poeira e o impedimento de circulação em alguns cômodos da casa.

8 – Evite colocar vários fornecedores trabalhando juntos – Isso não é bom. Dificulta o controle da qualidade dos trabalhos e muitas vezes um acaba prejudicando o trabalho do outro.

9 – Reparos de infraestrutura – Os reparos com infraestrutura como alvenaria, hidráulica, colocação de gesso etc. ou qualquer outro serviço que gere algum tipo de sujeira deve ser feito no início da obra. Os trabalhos com acabamento como pintura, laqueação de móveis, colocação de pisos de madeira ou decoração ficam por último, como mencionado no item 4.

10 – Mudança e organizer – Esses serviços são mais uma comodidade para quem quer apenas mudar e usufruir do novo espaço. Empresas especializadas em empacotar, transportar e desempacotar ajudam a evitar o transtorno de uma mudança com muitos itens. O serviço de organizer auxilia a colocar a casa em ordem e ocupar os armários de forma organizada para começar o uso do espaço novo com o pé direito.

Saiba como negociar o ajuste do aluguel

ajuste-aluguel

As vezes, aumentar o aluguel “no susto” pode ser a pior atitude que o dono de um imóvel pode tomar, pois pode acabar perdendo um bom inquilino que já mora no imóvel ou tem um comércio instalado nele há algum tempo, oferecendo estabilidade financeira ao proprietário. Normalmente, com vencimento de contratos, as taxas são elevadas de acordo com o icms. Mas sempre há a vontade de fugir um pouco do padrão e valorizar seu imóvel, pois bem, então que tal seguir alguns passos sem assustar o inquilino? Vamos lá:

Antecipação – É necessário negociar a renovação antes de o contrato terminar, o que inclui falar de valores previamente.

Pesquisa – Para evitar aumentos absurdos, deve se informar dos preços na região, comparando com a condição do imóvel e a infraestrutura do prédio.

Argumentos – Analise se o inquilino é bom pagador, se não há reclamações contra ele e se conserva o imóvel. Se for positivo, não há porque optar por tirá-lo do imóvel, a não ser que já haja planos novos para o mesmo.

Desocupação – Se nenhum acordo for feito, em caso de contrato com tempo determinado, o proprietário pode entrar com ação de denúncia vazia, pedindo a desocupação em 30 dias. Para contratos de tempo indeterminado, o prazo é de 90 dias, segundo a advogada Tatiana Queiroz.

Churrasco em apartamento pode? Sim! Quem mora em apartamento também tem direito.

churras-ape

 

Uma churrasqueira é mais que um utensílio para a casa: é um excelente argumento para reunir amigos. E não é só quem mora em casa que tem direito a curtir um churrasco no domingo, não. Os moradores  de apartamentos também podem assar a carne no conforto do lar, doce lar (desde que não haja nada contra na convenção do condomínio, é claro). Muitos empreendimentos novos, inclusive, já oferecem esse atrativo nas varandas das unidades. Mas, se não é o caso do seu imóvel, não tem problema: há modelos portáteis de todos os tamanhos, materiais e preços no mercado. A primeira coisa a fazer é escolher o tipo – de carvão, elétrica ou a gás. E o que vai te ajudar a escolher entre uma e outra, inicialmente, é um fator muito simples: o andar onde você mora.

A churrasqueira de carvão tem combustão, no caso, do carvão, e isso faz fumaça. A gordura da carne cai no carvão quente, o que faz ainda mais fumaça. Essa fumaça com cheiro de gordurinha subindo defuma a carne e é por isso que fica gostoso. O problema é que ela não pára na carne, continua subindo, subindo, e invade os apartamentos superiores. O imóvel onde está sendo feito o churrasco, é claro, também fica com aquele cheiro de fumaça impregnado. Para quem mora numa cobertura, na opinião dos churrasqueiros de plantão, é a melhor opção, pois o churrasco fica mais gostoso. Mas, para os moradores dos demais, pode ser sinônimo de briga com a vizinhança.

No caso de apartamentos que já são construídos com churrasqueira a carvão, o projeto do edifício inclui um duto de exaustão de fumaça. Bom complemento para o sucesso da exaustão é o chamado dumper, ou registro, uma chapa metálica localizada na base da coifa acionada manualmente por uma alça. Quando fechado, impede o retorno do cheiro e da fumaça das churrasqueiras vizinhas. Aberto, com a churrasqueira acesa, ajuda a expelir a fumaça pelo duto do edifício. Vale checar se as paredes e a câmara de fogo (lugar do carvão) têm tijolos e rejunte refratários. Esses materiais têm dupla função isolante – intensificam a temperatura interna e impedem que o calor afete as partes de fora.

Já a churrasqueira elétrica não tem combustão, e sim uma grande resistência que fica logo abaixo da grelha. Quem entende do assunto diz que esse tipo assa a carne “direitinho” e é uma boa opção para os apartamentos. Para tentar simular a questão da gordurinha caindo no carvão, é preciso colocar um pouco de água na bandeja. A gordura cai na água, que evapora, vai subindo e pega na carne. Mas não sobe tanto quando no caso do carvão. No máximo, a churrasqueira elétrica vai deixar o apartamento com um pouco de cheiro de churrasco, mas definitivamente, a fumaça que faz é muito menor do que a de carvão.

A churrasqueira a gás funciona de maneira parecida à elétrica, e também é uma boa opção para quem não quer fazer fumaça nem ter trabalho com limpeza. Mas a maioria dos modelos são de embutir e, como não é comum os condomínios permitirem a instalação definitiva neste espaço, ela acaba por ser descartada em muitos casos.

Mas, agora que você já sabe que a churrasqueira elétrica é a melhor opção para quem mora em apartamento, que tal planejar o churrasquinho do domingo em?

Aposte em cores com significados em 2014

2014-cores

Segundo Carillo, cores corretas em lugares adequados são bem-vindas para o novo ano.

Você sabia que cores tem significados e podem carregar ou suavizar os ambientes? Pois é!

O vermelho, por exemplo, é a cor da prosperidade, de acordo com a famosa técnica Feng Shui. Deve ser usado na “área do sucesso”, localizada na parede em frente à entrada da casa. Sendo assim, a dica é pintar essa parede em vermelho ou utilizar objetos nessa cor. Não é a toa que o vermelho tornou-se uma grande tendência em salas de estar ou jantar, servindo como um portal de entrada nas casas ou apartamentos.

Para quem deseja atrair saúde com as cores, o ideal é abusar do verde.

Laranja é a cor da alegria, e foi qualificada como a cor do ano de 2014.

Azul é a cor da tranquilidade, da confiança.

Branco atrai e transmite paz e harmonia aos ambientes, já a cor preta deve ser utilizada com muito cuidado, para não tornar seu dia-a-dia muito cansativo.

Aproveite o mês de janeiro para renovar a sua casa, agora sabendo, inclusive, o que cada cor de tinta ou decoração pode lhe proporcionar.

Como homens e mulheres negociam a compra de um imóvel

homensemulheres

 

Você sabia que em grande maioria, homens não têm paciência para visitar muitos apartamentos? Por outro lado, quando encontram algum que corresponda às suas necessidades e desejos, demoram para se decidir, pois precisam pesar o lado financeiro entre outras questões lógicas, como as ligações de transportes e a proximidade de equipamentos públicos. E muitas vezes, nesse tempo, eles acabam perdendo o apartamento.

Pode parecer que a mulher se apaixona mais facilmente por um imóvel, sem pesar prós e contras. Mas, segundo os especialistas, elas são bem mais exigentes em suas escolhas, no que diz respeito à estrutura do imóvel. Enquanto os homens, apesar de serem mais racionais e pesarem a parte financeira, acabam por perder ótimas oportunidades.

Foi o caso do biólogo Rogério Nóbrega. O objetivo era encontrar uma moradia de dois quartos por até R$ 400 mil em Laranjeiras. Depois de dois meses de procura, achou um charmoso apê no alto de uma ladeira, com a tipologia que queria e por um preço um pouco menor, R$ 380 mil. O problema é que o curitibano pediu um tempo ao corretor para consultar amigos e ter a certeza de que valia a pena assumir este compromisso. Depois de uma semana, enquanto ainda refletia, acabou perdendo o imóvel para a publicitária Ana Maria Quintela, que, na dança das cadeiras, foi muito mais rápida.

“Eu nem cheguei a procurar outros imóveis, mas quis colocar tudo no papel, pois o acesso ao prédio não era tão fácil e eu não tenho carro. Como era a minha primeira compra, imaginava que o apê ficasse ali, à espera da minha decisão”, confessa o biólogo, que está, temporariamente, na casa dos pais.

Ana Maria, baiana e residente no Rio há pouco mais de dois anos, morava de aluguel. No meio deste ano, começou a procurar um apartamento para comprar. Ela visitou cinco imóveis em três semanas. Mas, quando avistou , o jardim de inverno que havia no fundo daquele imóvel de Laranjeiras, não titubeou e apertou a mão do corretor:

A publicitária afirma que foi bastante racional em sua escolha, pois observou cada detalhe do imóvel. Segundo Frederico Judice, da imobiliária Judice & Araújo, de fato, as mulheres são mais detalhistas do que os homens. Mas se sentirem uma forte atração pelo prédio, por exemplo, já é um indício de que o imóvel tem grandes chances de ganhar a cliente.

 

Saiba como evitar infiltrações na sua casa

A infiltração pode aparecer em qualquer ambiente de um imóvel. Mas, em geral, surge com mais frequência em locais chamados de “áreas molhadas”, como banheiros, cozinhas e áreas de serviço. São cômodos que concentram a instalação hidráulica da casa.

infiltra

 

A falta de impermeabilização adequada antes de colocar  revestimentos em lajes, paredes e pisos é a principal causa do problema. Mas, há também infiltrações causadas pela má instalação de portas ou janelas, por exemplo, o que permite a entrada de água da chuva. Ou ainda instalação incorreta de tubos e conexões em projetos de hidráulica.

A umidade pode surgir no teto (quando uma laje não recebeu impermeabilização); em qualquer parede, em decorrência de vazamentos de tubulações, portas e janelas mal vedadas e ainda por falta de acabamento adequado; ou no piso, por falta de impermeabilização ou assentamento incorreto de revestimentos e pedras, ou ainda por causa de baldrame ou fundação da residência sem impermeabilização.

Há diversos tipos de impermeabilização e cada um é destinado a um uso do espaço. Há, por exemplo, a impermeabilização rígida e a flexível. A última é destinada a lajes, pois sofrem oscilação (dilatação e retração) com a mudança de temperatura.

Uma vez detectada a causa de qualquer infiltração é preciso fazer o reparo o mais rápido possível para não danificar móveis ou revestimentos, que tendem a se soltar com a umidade.

Vazamentos em canos exigem a quebra da parede no local afetado e substituição do ponto danificado. Recentemente, alguns fabricantes de tubos e conexões oferecem produtos que são unidos entre si por um processo chamado de termofusão, a uma temperatura superior a 200 graus. Portanto, é preciso contar com pessoal treinado para esta tarefa, em especial nos casos de instalação de água quente, muito comum agora em edifícios residenciais.

Em paredes, é preciso descascar todo o revestimento e refazê-lo com aplicação prévia de produtos impermeabilizantes misturados à massa. Porém, não se esqueça de que a execução dos serviços com equipes especializadas e a manutenção periódica mantêm a qualidade e a durabilidade da construção.